quarta-feira, 10 de outubro de 2007

"Santa" Carolina


“No Limiar das Palavras” é um espaço criado pela professora Fátina Gomes, aberto a alunos, professores e conhecidos, que de uma forma positiva queiram comentar, debater, analisar e confrontar ideias de uma forma saudável promovendo os conhecimentos adquiridos na sala de aula de uma maneira mais lúdica e menos “chata”.
Tal como este espaço foi reconhecido pela sua importância pedagógica e formativa pela jornalista Rita Ferro Rodrigues e por estudantes da Universidade do Minho, também mais recentemente saiu nas bancas aquele que é considerado o melhor livro alguma vez escrito, “Eu, Carolina”.
A autora, premiada com o Prémio Nobel da Literatura, é Carolina Salgado, que até já é apontada como a sucessora de José Saramago.
O livro, que retrata uma história de amor entre a própria autora e o Presidente do F.C.P., Jorge Nuno Pinto da Costa, é sobretudo marcado pela eloquência do discurso e pelo pormenor das figuras de estilo utilizadas na descrição da rotina do casal (recordo-me do episódio do cigarro, usado para “cobrir” odores menos agradáveis).
A trama delicia qualquer leitor que não consegue parar de ler avidamente folha a folha, página a página, capítulo a capítulo... De facto, o nível literário atingido é de tal forma elevado que faz esquecer grandes autores como Eça de Queirós, Almeida Garrett, Camilo Castelo Branco e, mais recentemente, José Saramago...

A publicação deste livro veio, assim, aumentar os "níveis de literacia" dos portugueses, render muitos milhares à autora e ainda contribuir para o enriquecimento da literatura nacional.
O livro, que foi amplamente divulgado, noticiado, analisado, discutido e debatido em horário nobre na T.V. e nos prestigiados jornais e revistas do país, até serviu de inspiração ao argumento do filme “Corrupção”, de João Botelho.
É, de facto, um best-seller, vivamente aconselhado, estando os portugueses ansiosos por conhecer o que fazia o casal em mais cenas do seu quotidiano!...
Santa Carolina, confesse-se...

2 comentários:

Fátima Inácio Gomes disse...

ahahahahahahahah és incorrigível, Pedro! ahahaha
Tu, sim, me deliciaste!!! E não foi pelas generosas palavras iniciais (inteiramente justas, aliás... * olha eu a alinhar no teu estilo * :p), mas pela finíssima e contundente ironia.
O único risco é alguém acreditar...
Brilhante! :D

Ana Marta disse...

Pedro, se não assinasses este teu texto eu era capaz de descobrir muito facilmente quem o escreveu!
O livro foi muito bem escolhido porque dá mais que asas à tua particular ironia! E de facto que melhor romance, que nos prende página a página, do que o do Sr. Nuno Pinto da Costa e essa senhora, que mais tarde se viria a tornar grande escritora, Carolina Salgado! Amanhã já sei que vais gozar com esta parte! :D
O texto está muito engraçado e não é nada maçudo, pelo contrário, bastante agradável de ler!
Parabéns!