sexta-feira, 19 de outubro de 2007

A LUZ DE PARIS!


Era uma vez Paris, uma cidade conhecida pelas suas luzes ofuscantes de beleza, pelo seu glamour incondicional, chefes de cozinha “parfect”,”oui,oui”. Porém nascia uma outra Paris a 17 de Fevereiro de 1981 em Nova Iorque. Hilton, Paris Hilton, um ser humano conhecido por ser reconhecido em qualquer parte do mundo, uma rapariga de cabelos longos e louros, olhos azuis, corpo esbelto e diamantes na carteira. E assim fez-se a futilidade em pessoa. Paris tem como “empregos” ser actriz, modelo, empresária e cantora, dedica-se 100% a todas estas actividades, mas é pena o resultado não ser tão óbvio. O seu passatempo preferido é gastar dinheiro, mas deixando ironias à parte, Paris Hilton representa tão bem, ao ponto de ser nomeada para pior actriz do ano umas duas vezes. É uma cantora sensacional, capaz de fazer frente à Mariza, é pena nunca ter sido convidada para cantar em grandes eventos musicais. Herdeira de uma das maiores cadeias de hotéis a nível mundial, foi entre estas que cresceu.
Neste Verão, Paris, por algumas infracções, foi para a cadeia “de grades”, onde pode continuar o seu crescimento, porque a lei, minha gente “toca a todos”.
Mas acredito que se o seu nome fosse Etiópia Hilton, talvez a sua vida de “socialite” e colorida ficasse com uma só cor, negra, o seu glamour tornar-se-ia em humildade, o seu dinheiro em areia, em pó.


Porém, como não posso escolher o nome que tenho, contento-me com o meu!!!


Mariana Cassamá 11ºG

2 comentários:

mariana cassama disse...

"stora" sei que este artigo crítico está uma verdadeira bosta mas nao tive imaginaçao,nem sentido crítico para mais,esperemos que o próximo seja melhor!!

Fátima Inácio Gomes disse...

:D Não, Mariana! Está fantástico! Fizeste-me sorrir muitas vezes, com a tua fina ironia e com os trocadilhos que fazes! Está francamente bem!... peca, sim, por um pormenor (que, aliás, é importante...:p)- o artigo crítico incide sobre uma "manifestação de arte"... não sei se a Paris Hilton se enquadra na definição! ehehe