segunda-feira, 19 de março de 2007

Onze Minutos


Paulo Coelho, autor do livro que escolhi, também autor de muitos outros livros, conheceu uma mulher que havia trabalhado nas boates da cidade, usando o nome de guerra Maria. Após ouvir a sua história - e a de várias outras moças - o escritor concluiu que ela seria uma excelente base para a abordagem do assunto que há tanto tempo o interessava. "Para escrever sobre o lado sagrado do sexo, era necessário entender por que ele tinha sido tão profanado", explica.

A Maria da ficção é do nordeste brasileiro e teve uma adolescência pontuada por frustrações na província. Passou por várias fases na sua vida, em que o seu sonho era ser rica nem que para isso tivesse de fazer de tudo. E fez. Maria para tentar concretizar o seu sonho foi capaz de tudo. E apaixonou-se pela pessoa errada que lhe prometia tudo o que ela sonhava. apaixonou-se por alguém que além de ser um homem mais velho, levou-a para um país que não conhecia na promessa de uma vida magnífica.

Maria por amor acabou sendo uma simples prostituta que tentava mudar a sua vida.
Pedro Sá Nº 12 10º C

2 comentários:

Fátima Inácio Gomes disse...

Bem, encontrei a tua fonte de inspiração http://www.paulocoelho.com.br/port/onzeMinutos.shtml
Tens muito do teu discurso colado de lá. Contudo, parece-me entrever também algum genuíno discurso pessoal... terás de defender o teu ponto de vista!

Claudia disse...

"Bem, encontrei a tua fonte de inspiração"

espectacular, subtil, paralizante