quarta-feira, 6 de junho de 2007

NÃO PODIA HAVER NO MUNDO ORGIA MAIS POÉTICA!

ATENÇÃO. ISTO NÃO É O POEMA ESCOLHIDO PELA MINHA HUMILDE PESSOA. OU ENTÃO SOU MESMO ARROGANTE PARA FAZER ISTO. MAS PUBLICO-O, E EM MAIÚSCULAS PARA TODA A GENTE VER! PORQUE EU SOU LIVRE DE ME EXPRESSAR! DE PUBLICAR E DE DECLAMAR! DE GRITAR AQUI NESTE ESPAÇO ONDE A VOZ NÃO SE OUVE, MAS NÃO SE CALA, E CORRE À VELOCIDADE DA LUZ! E PORQUE SOU LIVRE DE GRITAR E DE DECLAMAR, GRITO E DECLAMO! E DIGA UM PROFESSOR QUALQUER QUE isto NÃO É UM POEMA, QUE EU REFUTO - E QUANDO A EXAUSTÃO SE APODERAR DO MEU CORPO REFUTO NA MESMA, PORQUE A POESIA É DIGNA DE SER RECONHECIDA E ENALTECIDA POR OUTRÉM, MAS, BEM ANTES DISSO, É EXPRIMIR INCOMENSURÁVEL E INCONDICIONALMENTE .

(cá vai)


O ÁLVARO GOSTA MUITO DE LEVAR NO CU

O ALBERTO NEM POR ISSO

O RICARDO DÁ-LHE MAIS PARA IR

O FERNANDO EMOCIONA-SE E NÃO CONSEGUE ACABAR.



O CAMPOS

EM PODENDO FAZIA-O MAIS DE UMA VEZ POR DIA

FICAVAM-LHE OS OLHOS BRANCOS

E NÃO FALAVA, MORDIA. O ALBERTO

É MAIS POR CAUSA DA FOTOGRAFIA

DAS ÁRVORES ALTAS NOS MONTES PERTO

QUANDO PASSAM RAPAZES

O QUE NEM SEMPRE SUCEDIA.



O FERNANDO SEU MAIOR DESEJO DESDE ADULTO

(MAS JÁ NA TENRA IDADE LHE PROVIA)

ERA VER OS HÈTÈROS A FODER UNS COM OS OUTROS

PELA SEGUINTE ORDEM E TEORIA:

O RICARDO NO CHÃO, DEBAIXO DE TODOS (ERA MOLENGÃO

EM NÃO SE TRATANDO DE ANACREÔNTICAS) INTRODUZIA-

-SE NO ALBERTO ATÉ À BASE

E COM ALGUM INCÓMODO O ALBERTO ERGUIA

NOS PULSOS A ORDEM DA KABALIA

TENTANDO PASSÁ-LA AO ÁLVARO

QUE ENROSCADO NO SEARCH MORDIA MORDIA

E A MAIS NÃO DAVA ATENÇÃO.

O SEARCH TENTAVA

APANHAR O MEMBRO DO BERNARDO

QUE CRESCIA SEM PARANÇA NA DIRECÇÃO ESPAÇO

E ERA O QUE MAIS AVULTAVA NA DANÇA

DAS PERNAS DO MAÇO DA HETERONOMIA

A QUE ALIÁS O SEARCH ERA UM POUCO EMPRESTADO

COMO DE AJUDA EXTERNA (DE JANELA DO LADO)

ÀQUELA ENDEMONIA

HOJE EM DIA MODERNA E CASO ARRUMADO.


FORMADO O QUADRADO

ERA QUANDO O ALEYESTER CROWEL APARECIA.

«Iô Pan! Iô Pã!», DIZIA,

E ERA FELATIO PARA TODOS,

E PÃO DE LÓ MOLHADO EM MALVASIA.



Mário Cesariny

---------------------------------------------------------------------------------------

Se tivesse escolhido este poema, coisa que não fiz mas que de que não me envergonharia acaso tivesse feito, provavelmente punha-me a discorrer sobre a associação inteligente das personalidades dos heterónimos Pessoanos às posições que assumiriam durante uma orgia e sobre o autor.

Só vim postar isto aqui, para ter a certeza de que em algum cantinho, agradando ou não aos outros, a censura nunca existiu. (e de que isto é um poema :P ).



4 comentários:

Li disse...

Uma rapariga expôs o poema à turma, e o senhor responsável por leccionar Português no 10ºano, afirmou que tal não se trata de um poema e mais tarde sugeriu diante membros da família da aluna que a pobre criatura amorosa deve estar a passar um período mau, nada mais pode explicar o facto da aluna ter escolhido tal poema (ups. enganei-me. não é poema. será um conto?)
é claro que a pessoa não é nenhuma amiga minha e isto deve ter sido inventado por mim...

Fátima Inácio Gomes disse...

És uma provocadora, minha Lili!!! :D E... não foste tu quem escolheu?!?!? quem, então? Afinal, queres desafiar e não agarras a oportunidade com ambas as mãos?!?!

Por mim... esse clamor do "Virgem Negra" não é intimidante! é provocador, apenas. Como o próprio Cesariny! Quando se quer romper, tem de se extremar! E não foi o único na Literatura Portuguesa! :D Há um filão por descobrir! ;)

Agora, diz-me... queres mesmo desafiar quem? (suponho que a mim não será... )

Li disse...

Não, não é a professora. E não se tratou de desafiar, foi mais um desabafo, um grito. Porque por brincadeira disse a uma amiga minha (de outra escola) que apresentasse este, e ela levou aquilo a sério e apresentou. E o stor. disse-lhe que isto nem sequer é poesia. Eu senti as minhas fibras nervosas incharem e ferverem (tinha o motor carregado) e uma vontade enorme de ter assistido aquela aula e ter defendido não só o poema mas a LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
=)

(*parabéns à minha mana que apesar de me roubar as sapatilhas todas as semanas eu ate tenho um carinhozinho por ela - o que nao lhe dá direito de me roubar as sapatilhas:D*)

Tiago Faria disse...

Foi preciso expores esta orgia poética para eu finalmente perceber a piada que o gato fedorento fez no sketch do big brother famosos sobre os gostos de pessoa xD