segunda-feira, 25 de junho de 2007

Urgentemente



É urgente o Amor,
É urgente um barco no mar.


É urgente destruir certas palavras

ódio, solidão e crueldade,

alguns lamentos,

muitas espadas.


É urgente inventar alegria,

multiplicar os beijos, as searas,

é urgente descobrir rosas e rios

e manhãs claras.


Cai o silêncio nos ombros,

e a luz impura até doer.

É urgente o amor,

É urgente permanecer.

Eugénio de Andrade


Comentário:

O poema fala-nos como é importante que as pessoas se deixem guiar pelas coisas boas da vida, que vão à procura da felicidade e que ponham um fim à guerra e a toda a tristeza que nos rodeia.
Diz-nos como é importante destruir o ódio, a solidão e a crueldade, destruir as espadas, que são símbolo de guerra e violência. E, de seguida, refere como é urgente construir a felicidade, a alegria, é urgente “descobrir rosas”, ou seja, beleza, harmonia, amor.
O poeta sente, tal como eu, a necessidade de viver num mundo melhor, num mundo repleto de felicidade e amor eliminando as coisas negativas que este tem e que todos estamos fartos de saber quais estas são. São mais as vezes em que ouvimos e vemos a infelicidade em que vivemos, e raras as vezes em que vivemos momentos felizes.
Porque sem amor e felicidade não há futuro nem harmonia no mundo.



João Faria 10º A

1 comentário:

Fátima Inácio Gomes disse...

Gostei da análise!
O poema.. é um clássico!