segunda-feira, 9 de maio de 2011

Devaneios sobre uma imagem






Está frio lá fora. Frio demais.
Mas o frio desvanece quando te aproximas… Mesmo que o sinta exteriormente, sei que estás lá tu para extenuar a sensação gélida que me percorre o corpo. Tu próprio me arrepias como se fosses um cubo de gelo. Ao invés, aqueces-me por dentro.

Esse calor interior permanece mesmo com as temperaturas negativas, o vento vigoroso ou a chuva intensa. Este frio que me arrefece os pés, faz o meu corpo pedir calor, lã de ovelha, aquecedor! Mas tu vales por isso, és fogo em mim. A mente esquece a sensação gelada que as mãos sentem e fixa-se em ti, no calor que interiormente me proporcionas. Esse calor só não aquece, mas preenche. Fecha as gretas que o frio cria nas mãos, abre sorrisos, esquenta a vida. Por isso sei que, mesmo que faça frio, em dias gelados de inverno, não vou ter medo que o corpo esfrie, porque não o vou sentir, porque vais estar lá tu a encobrir essa sensação. É por isso que me explicas o facto de o amor ter o poder de camuflar as coisas negativas e frias e atiçar o que é bom de se sentir: o calor, o complemento. Por isso sei que este frio que sinto é atenuado pelo sentimento que nutrimos, por este amor que alimentamos, pelo companheirismo e pela saudade.
Está frio, frio demais! Mas o frio que sentia esvaneceu-se quando te aproximaste. Fiquei quieta a olhar para ti, congelada, de pele gretada, mas de coração quente e feliz.


Ana Luísa, 10º A

2 comentários:

Fátima Inácio Gomes disse...

Mais um devaneio... apaixonado!
É da Primavera, apesar do frio da imagem :D

Angela disse...

Se tivesse a cena do "like" como no facebook, clicava lá. Está bonito o teu texto.