terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Deus, António e as Sardinhas...


Antes de dar a palavra aos meus artistas, tenho de partilhar com todos uma angústia que me tem atormentado nos últimos dias. Afigura-se-me já como uma antevisão apocalíptica do fim, incontornável face à dimensão profética dessa tríade portuguesa de superior alcance mediúnico: Bandarra-Vieira-Pessoa.

Não sei se o Quinto Império se cumprirá, mas é já um facto que o império das sardinhas está em derrocada. A sardinha escasseia nas nossas costas, dizem os cientistas, e corre o risco de desaparecer.
Tremi. De imediato me vieram à lembrança as palavras de Padre António Vieira, no seu “Sermão de Santo António aos Peixes”:

Tomai o exemplo nas irmãs sardinhas. Porque cuidais que as multiplica o Criador em número tão inumerável? Porque são sustento de pobres. Os solhos e os salmões são muito contados, porque servem à mesa dos reis e dos poderosos; mas o peixe que sustenta a fome dos pobres de Cristo, o mesmo Cristo os multiplica e aumenta.(capítulo III)

Eis que, face à irrefutabilidade dos engendrados e hábeis argumentos do grande Padre António, eu me vejo obrigada a admitir que:

a) acabaram os pobres, pelo que Deus deu por concluída a generosa missão das nossas irmãs sardinhas;

b) Deus já não se preocupa em alimentar os pobres.

A realidade, cruel e insidiosamente, mostra-me a falibilidade da primeira hipótese, pelo que fico condenada a reflectir sobre as implicações da segunda. Será que Deus já nem se preocupa em alimentar os pobres? Ou será que se cansou de pobres e de ricos e os deixou a todos encaminhar-se rapidamente para o fim? O aquecimento global é, sem dúvida, uma grande ameaça, mas olhem que se os pobres não tiverem que comer, estes também não darão de comer aos ricos, e acabarão uns e outros.

Chegou a hora, irmãos, de darmos as mãos, ricos e pobres… Salvemos as sardinhas, nossas irmãs!

Fátima Inácio Gomes

5 comentários:

Scorpionster disse...

tenho um tio que come ás 35 sardinhas de cada vez...

corto relações?


"A realidade, cruel e insidiosamente, mostra-me a falibilidade da primeira hipótese, pelo que fico condenada a reflectir sobre as implicações da segunda. Será que Deus já nem se preocupa em alimentar os pobres? Ou será que se cansou de pobres e de ricos e os deixou a todos encaminhar-se rapidamente para o fim? O aquecimento global é, sem dúvida, uma grande ameaça, mas olhem que se os pobres não tiverem que comer, estes também não darão de comer aos ricos, e acabarão uns e outros."



très bien...

Fátima Inácio Gomes disse...

eheheh! eu acho que deves cortar... algo, mas deverás... *evil laught*

Agora fico à espera que postes o teu texto... tu e os outros! :D Ai o descanso!!!.... quem é que descansa aqui! :p

Scorpionster disse...

que texto?

Cláudia disse...

"que texto?"
@ o que fizeste no último teste scorpionster

@ este "Deus, António e as Sardinhas" está mesmo jeitoso p'ra mandar ao Markl...e o prometido é devido eheh :D

Fátima Inácio Gomes disse...

... o prometido é de vidro já dizia o grande Pessoa! :P
Ah, o Markl... esse ganda maluco... jeitoso! :D