domingo, 26 de novembro de 2006

Cesariny... a "máquina de passar vidro colorido"



Nasceu em Lisboa, no dia 9 de Agosto de 1923. Morreu, nesta madrugada.
Mário Cesariny de Vasconcelos foi poeta, pintor e, acima de tudo, um grande provocador! Bastava isso para que tão intensamente tivesse "aprendido" a ser Surrealista... mas o que é isso de Surrealismo, perguntarão!... é precisamente isso, sair da realidade, do real! Para os surrealistas, a Imaginação seria o campo de criação por excelência e, por isso, procuravam-na onde ainda se encontrava em estado puro... na infância, na loucura, na insónia, no sonho, na alucinação...
Daí que, no Manifesto do Surrealismo , André Breton (o seu fundador, na França, e que Cesariny conheceu pessoalmente, em 1947) tenha afirmado:
Nao é o medo da loucura que nos vai obrigar a hastear a meio-pau a bandeira da imaginaçao

Na pintura, conhecerão nomes como Picasso e Dalí... estão a ver o estilo! ;)
Mas Cesariny também teve uma palavra na pintura surrealista: as suas escorrências de tinta (técnica desenvolvida no surrealismo) estão entre as primeiras realizações a nível mundial, por volta de 1947!

Já agora... lembram-se de falarmos de Fernando Lopes Graça, por causa da sua crítica ao filme "A Severa"? Cesariny e Lopes Graça frequentaram o mesmo Liceu e Cesariny teve lições de piano com o amigo.

Cesariny foi também um anti-salazarista convicto... quer nas colagens pictóricas, quer na poesia, satirizava o governante e não é de estranhar que essas obras circulassem à escondidas! Provocador, opunha ao "Deus-Pátria-Família" salazarista a sua própria máxima "Poesia-Amor-Liberdade".

Deixo-vos com a palavra do poeta...

Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto tão perto tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura

Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco

9 comentários:

Bruno disse...

e morreu... pá...
meaningfull and ambiguos...

pá... tão diferente... é uma merda... morreu...

the memory remains...

Bruno disse...

Porquê não se sabe ainda
mas ainda aos que amam o poeta porque ele lhes dá o
livro do não trabalho
e diz cor de rosa diante de toda a gente
mas lhe lêem o livro só nas férias
(entre trabalho e trabalho)
e à noite vão a casas dizer cor de rosa em segredo
a esses e ainda
aos que estudaram o problema tão a fundo
que saíram pelo outro lado
e armaram um quintal novo para as galinhas do poeta
porem ovos
e disseram ao poeta estas são as nossas galinhas que
tu nos deste
se elas não põem os ovos que amamos
matamos-te
e então o poeta vai e mata ele as galinhas
as suas belas galinhas de ovos de oiro
porque se transformaram em malinhas torpes
em tristes bichas operárias que cheiram a coelho
a esses e ainda
aos realmente explorados
aos realmente montes de trabalho
ou nem isso só rios
só folhas na árvore cheia do método árvore

Bruno disse...

esquecime... o acima chama-se "Fidelidade"...

e um que gosto bastante:

_Rua do Ouro_

Ai dele que tanto lutou e afinal
está tão só. Tão sòzinho. Chora.
Direcção da Companhia Tantos de Tal.
Cincoenta e três anos. Chove, lá fora.

Chora, porquê? Ora, chora.
Uma crise de nervos, coisa passageira.
É, talvez, pela mulher que o adora?
(A êle ou à carteira?)

Seis horas. Foi-se o pessoal.
O homem que venceu está sòzinho.
Mas reage:que diabo. Afinal...
E olha para o cofre cheínho.

Sim estou só ainda bem porque não? ele diz
batengo com os punhos na mesa.
Lutei e venci. Sou feliz
E bate com os punhos na mesa.

Seis e meia. Ó neurastenia
o homem que venceu está de borco
e sente uma grande agonia
que afinal é da carne de porco
que comeu no outro dia.

É da carne de porco ele diz
vendo a chuva que cai num saguão.
É da carne de porco. Sou feliz.
E ampara a cabeça com as mãos.

Durante toda a vida explorou o semelhante.
Por causa dele arruinaram-se uns cem.
Agora, tem medo. E o farsante
diz que é feliz diz que está muito bem.

Sim, reage. Que diabo. Terei medo?
E vê as horas no relógio vizinho.
Mas, ai, não é tarde nem cedo.
Ele, que venceu, está sòzinho.

Venceu quem? Venceu o quê? Venceu os outros
Os outros, os que o queriam vencer!
Arruinou-os, matou-os aos poucos.
Então não o queriam lá ver?

Sim, reage: Esta noite a Leonor
amanhã de manhã o Sàlemos
e depois? Ah o novo motor
veremos veremos veremos

Mas pouco do que diz tem sentido.
Tudo hoje lhe é vago uniforme miudinho.
O homem que venceu está vencido.
O dinheiro tapou-lhe o caminho.

Os filhos? esperam que êle morra.
A mulher? espera que êle morra.
O sóciuo? Pede a Deus que êle morra!
Só a Anita não quer que êle morra!
Ai, maldita carne, murmura
vendo a água que há no saguão.
Tinha demasiada gordura!
E veste o casaco e o gabão.

Passa os olhos pelo lenço. Acabou-se.
Vai sair. Talvez vá jantar?
É inverno. Lá fora, faz frio.

O homem que venceu matou-se
na margem mais escura do rio
ao volante dum belo Packard

Bruno disse...

hmmm... eu não me considero apassione de nada... mas... esforço-me ao máximo para dar o valor real das coisas... mas sim... de facto... se sou um apaixonado por alguma coisa, "COISA"(por causa da li:-D) os poemas dele estavam na lista batidinhos...

Fátima Inácio Gomes disse...

Ok!... há muitas vezes em que é preciso dizer cor-de-rosa... o que interessa é a cor que permanece na nossa alma, e que não poderá ser sempre o negro.... porque, quem lá anda, mais facilmente vislumbra a luz... lembras-te?

Já vejo que és um apassioné por Cesariny! ;) ... o bom é que estes seres nunca morrem!

Bruno #11 disse...

Cesariny, como muitos outros, das leis da morte se libertou... mas... como muitos outros... merecia ficar perto para poder apreciar mortalmente a sua imortalidade...

Anónimo disse...

OLA STÔRA. PODIA-ME ADICIONAR-ME
GOSTARIA DE COLABORAR ENVIANDO ALGUMAS IMAGENS INTERESANTES.
:-))))




LUIS LOUREIRO 10ºB
luis_saloureiro@hotmail.com

Anónimo disse...

Gostaria também de saber como se adiciona imagens..;~)


Luis Loureiro

Fátima Inácio Gomes disse...

:D Já não vim a tempo!.... mas parece que já conseguiste fazer tudo sozinho! ehehe
Já mandei convites para muita gente... a quem tenha falhado, que avise! :D