quinta-feira, 24 de maio de 2007

Tempo :|


Infelizment sei que tu nao voltas atrás!

Sei que as lágrimas nunca me vão deixar.

A única coisa a fazer, acho que é te prolongar.

Mas será que isso irá dar?

Irá isso aliviar a tristeza que eu sinto ao ver-te passar?


Nao há mais nada que eu possa desejar,

sem primeiro te travar!

Um dia, dois, três e lá vais tu a passar.

Fica! Mas tu és tao ingrato que nem nisso podes pensar!

Eu faço tudo, mas por favor, pára d passar

e deixa-me aproveitar!


Aproveitar tudo o que é bom,

deixa-me aprender a brincar, a desejar, a amar!

Nao me deixes aqui sozinha. . .

Nao me deixes aqui perdida!

És bom demais para eu te abandonar.

Porque apesar de tudo, eu nunca te vou deixar.


Sara Vila-Chã *

5 comentários:

Scorpionster disse...

ain't life a b*tch...

Nuno_Areia disse...

que boa sequência de verbos da primeira conjugação...
acho que se anderes mais depressa que a velocidade da luz podes recuar no tempo (?), pelo menos segundo alguns cientistas. (?)

O tempo cura as feridas.

Fátima Inácio Gomes disse...

Ó Nuno, essa dos verbos!!! ehehe

Mas está muito bem, Sara! Eu fico sempre espantada com aqueles que conseguem abrir o coração com franqueza1 É uma dádiva, preserva-a...
e, como vês, o teu desabafo arrancou de imediato comentários masculinos... a ver se eles se tocaram com os calaus do Tiago?!?! *evil*

:D

Scorpionster disse...

boa chefa... o que era eu e o areias a falar sem que Vsa senhoria comente maliciosamente...

pinheirinho, melhor que andar acima da velocidade da luz é vibrar mais intensamente que os "átomos"(Gregamente falando), tornando-se assim o homem...
...
...
...

(a chefa vai gostar:p)

... etéreo...

Fátima Inácio Gomes disse...

Só vocês para arrancarem um sorriso desta alma impedernida, mas teimosamente... etérea! :D

Obrigada, meus amigos! É sempre um deleite ouvir-vos (aka, ler-vos)

A chefa