sábado, 12 de janeiro de 2008

A Espera














Eram os olhos de marfim amendoado;
Embebidos em pensamento profundo,
que engoliam o Tempo num trago,
enquanto o pão se vendia ao mundo.

Envoltos num tom amargo;
Ocultavam reinos de orgia distante,
daqueles que sorriem à Morte,
com logro fecundo e ávidos de sangue.

Arrastando pela espera violenta,
o ónus da esperança bravia,
amansaram a dor da hora lenta;
Mas o pão ao mundo já se não vendia.

5 comentários:

Cláudia disse...

XD bem...aquilo que antes estava aqui ñ fui eu que o postei (pelo menos de uma forma directa XD)

ora, isto está bem pró jornali?
:\

Fátima Inácio Gomes disse...

Tá lindoooooo! Nem sei se o jornal será digno de tanto! eheh

Eu... também fico sempre à espera, de mais obras tuas, insaciavelmente.

Scorpionster disse...

tá bonito... e o vocabulário que vais repetindo no que de ti vou lendo dá-me espaço para especulação bastante interessante...

Cláudia disse...

@BUUUH!!!!
blasfémias
O jornal é dirigido pela pequenita!Eis tudo! :D

"fico à espera, de mais obras"
a meter o monte de exercícios sobre vectores, planos e rectas no bolso(aa...ñ cabem todos eheh)

obrigado ;)

@"e o vocabulário que vais repetindo no que de ti vou lendo"
hmm olha (ñ tenho bem a certeza :S) mas acho que eu já te tinha mostrado isto.XD [joking]

"dá-me espaço para especulação bastante interessante..."
Revelar-me-eis vossas conjecturas?

#e a Torre de Pisa foi construida pelo engenheiro José Sócrates, oh Sá foi perfeita na altura XD
vê lá tu tem mas é cuidado!...

Scorpionster disse...

in due time...

the universe tends to unfold itself as it should, no point in rushing...