segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

Diário de Anne Frank

Photobucket - Video and Image Hosting




Este livro é um dos livros mais interessante que eu já li, porque retrata a vivência da mais horrenda guerra que eu conheço do ponto de vista de quem a viveu realmente e porque demonstra que o amor pode ser vivido em qualquer altura, mesmo nas mais dificeis e também porque mostra a forma como algumas pessoas se exposeram para poderem ajudar os seus amigos a sobreviver naquele anexo.




Anneliese Marie Frank,mais conhecida como Anne Frank, foi uma judia obrigada a viver escondida dos nazistas durante o Holocausto. Ela e a sua família, juntamente com mais quatro pessoas, viveram 25 meses, durante a Segunda Guerra Mundial, num anexo de quartos por cima do escritório do seu pai, em Amesterdão, na Holanda, denominado Anexo Secreto.Enquanto vivia no Anexo Secreto, Anne escrevia em seu diário (que ganhou de aniversário), que ela deu o nome de Kitty. Em seu Diário Anne escrevia o que sentia, pensava e o que fazia. Kitty era sua única amiga dentro do Anexo Secreto.
Ao fim de longos meses de silêncio e medo aterrorizante, acabou por ser denunciada aos nazistas e deportada para campos de concentração nazis. Primeiro foi levada juntamente com a família para Westerkerk, na Holanda, antes de serem deportados para o leste da Europa. Anne Frank foi deportada inicialmente para Auschwitz, juntamente com os pais, irmã e as outras pessoas com quem se refugiava na casa de Amsterdão (hoje casa-museu). Depois levaram-na para Bergen Elsen, juntamente com a irmã, separando-a dos pais. Em 1945, nove meses após a sua deportação, Anne Frank morre de tifo em Bergen Belsen. A irmã, Margot Frank falecido também vítima do tifo e da subnutrição um dia antes de Anne. Tinha quinze anos. Morre duas semanas antes de o campo ser libertado.



O seu diário, guardado durante a guerra por Miep Gies, foi publicado pela primeira vez em 1947. O diário está actualmente traduzido em 67 línguas e é um dos livros mais lidos do mundo. O local onde a família de Anne Frank e outras quatro pessoas viveram para se esconder dos nazistas, ficou conhecido como Anexo Secreto e tornou-se tornou-se um famoso museu após a publicação do diário. Nesse há uma reprodução das condições em que os moradores do Anexo Secreto viviam e é apresentada a história de seus oito habitantes e das pessoas que os ajudaram a se esconder durante a guerra. Um dos itens apresentados ao público é o diário escrito por Anne, que viria a se tornar mundialmente famoso após sua morte, devido a iniciativa de seu pai, Otto, de publicá-lo. Hoje, é um dos mais famosos símbolos do Holocausto. Dos oito habitantes do Anexo, o único sobrevivente após a guerra foi Otto, pai de Anne.




Aconselho a quem não leu a ler este livro porque dá-nos outro ponto de vista do que foi a segunda guerra mundial.



5 comentários:

Cátia disse...

oi...
Já tinha ouvido falar do livro, mas ainda não me tinha suscitado interesse, para o começar a ler.
Mas, com o que acabei de ler no post, fiquei entusiamada para o ler. Acho que vai ser interessante.
Obrigada pela sugestão.
Cátia Bogas 10ºC
Bjs

Li disse...

Olá!

Eu já li, a versão definitiva.

"Importa enfim acrescentar que esta edição definitiva contém toda uma série de passos que haviam sido omitidos por decisão do pai, que não tinha querido que alguns comentários de Anne Frank relativos à mãe fossem divulgados. O resultado final é um retrato extraordinário de uma adolescente em busca da sua identidade, durante um dos mais trágicos períodos jamais vividos pela humanidade."

A versão definitiva do diário, terá este aspecto:

http://livrosdobrasil.com/~xms/dbimages/DoisMundos266p_69x101.jpg


A quem este assunto desperta interesse, aconselho também o livro e filme "O pianista" e o filme "A lista de Schindler", entre outros.

Lili 10ºG

Fátima Inácio Gomes disse...

Ainda bem que falaste no Diário!... curiosamente (ou até não, que isto das consequências... é a tal questão do "efeito borboleta"!), no 2º período vamos dar o exemplo do Diário da Anne Frank, a propoósito do texto autobiográfico! Veio mesmo a calhar! Obrigada!

Lili, interessante a tua indicação!... eu desconhecia a existência dessa "versão definitiva". Depois seguirei esse ink, para me informar melhor!

Cátia, força nessa leitura! Tenho a certeza que gostarás!... lamentável é que não tenha sido tudo uma mera ficção!... :-(

Bruno #11 disse...

efeito borboleta... teoria do caos... conversa interessante... vou ver se não me esqueço....




por acaso ainda não li o diario apesar de me interessar muito pela 2ªguerra mundial... vou ver se faço isso... nice post

sandra vilela disse...

Apesar de já ter ouvido falar do livro, este ainda não me tinha despertado interesse... mas o teu "artigo" motivou-me"... nice post